Ir para conteúdo principal

Entrevistas Conteúdo

10 de Junho de 2014

"Trabalhar na melhor pequena indústria do Brasil nos enche de orgulho", comemora vencedor do MPE Brasil 2013

 

Confira a entrevista na íntegra:

 

Como foi a trajetória da empresa até alcançar o reconhecimento nacional do MPE Brasil?

A Biotecno foi fundada em 2001 e, na época, produzia e comercializava diversos materiais para hospitais, como aspiradores, cadeiras de rodas, camas, móveis e também câmaras para conservação de sangue. Com o crescimento do comércio de refrigeradores médicos e as exigências impostas pela Anvisa, tivemos que nos adequar aos padrões e estruturamos toda a planta e os processos da empresa para fabricar este tipo de equipamento. Esta preparação iniciou em 2008 e se estendeu por mais dois anos, quando registramos nossa linha de produtos na Anvisa e recebemos o Certificado de Boas Práticas de Fabricação. A partir de então, a Biotecno somente produziu refrigeradores médicos e se tornou um especialista neste ramo de mercado, inclusive sendo hoje empresa referência em inovação.

 

Qual foi o primeiro contato da Biotecno com o MPE Brasil? 

Em 2012 iniciamos a participação no Prêmio, mas ainda não tínhamos todos os dados necessários. Já no ano seguinte, organizamos as informações necessárias registradas para responder integralmente o questionário, que solicitava dados retroativos há três anos, o que fez toda a diferença em nossa pontuação. A partir da primeira tentativa, aprendemos a valorizar nossos pontos fortes e intensificamos os esforços para o desenvolvimento de novos produtos e soluções para os clientes no quesito inovação. Continuamos com o pensamento social, desenvolvemos ações na comunidade em nível municipal e envolvemos ainda mais os colaboradores. Buscamos melhorias em nossa estrutura física, duplicamos a capacidade de produção e reforçamos o controle de qualidade.

 

Quando a Biotecno iniciou a busca pelo conhecimento e reconhecimento em gestão?

Com a implantação do Sistema de Boas Práticas em 2010, houve a introdução de um programa de gestão. A abordagem deste sistema contempla aspectos relativos à gestão de processos, pessoas, estoque, rastreabilidade de peças e componentes, vendas, compras, produção, indicadores, assistência técnica, entre outros. Fomos "esculpindo" este programa com muito carinho, que hoje chamamos de "Qualidade Total Biotecno", de forma que nenhum processo ficasse sem controle ou registro. Hoje até o setor de limpeza tem cronograma específico para cada dia da semana. Conseguimos disseminar em cada colaborador a mesma forma de pensar e agir, que hoje é o diferencial do negócio.

 

Qual é o principal desafio para as empresas que atuam no segmento da indústria?

Introduzir um produto no mercado. Obviamente, enfrentamos outras dificuldades, por exemplo, foi longo o processo de registro e certificação da Biotecno na Anvisa, somos anualmente auditados e fiscalizados, temos que manter alto padrão de qualidade. Entretanto, em meio a estes fatores, quando se inicia um negócio, não basta só acreditar no que se está fazendo. É preciso fazer as outras pessoas comprarem a ideia, o produto, e isso leva tempo. Criar um nome no mercado, gerar credibilidade, confiabilidade, são consequências que vem paulatinamente. Se cada colaborador estiver engajado, o processo flui. O lucro tem de ser consequência do trabalho, e não a primeira expectativa do negócio. Os resultados virão com a dedicação, o comprometimento e a vontade de fazer o melhor.

 

O questionário de autoavaliação determina os pontos fortes e fracos da gestão do seu empreendimento. De que forma a Biotecno coloca em prática essa avaliação?

Os aspectos a melhorar foram estudados e muitos deles a Biotecno já cumpria, porém informalmente, ou seja, sem registro oficial. Após colocarmos tudo em nosso Sistema de Boas Práticas foi possível comprovar o que havíamos realizado. O questionário também foi muito útil para enxergarmos a empresa como um todo. Aproveitamos ainda um feedback do Sebrae do nosso município depois que recebemos a devolutiva da primeira participação, em 2012. Com a discussão sobre o desempenho da empresa entendemos melhor a proposta das perguntas e conseguimos identificar os pontos críticos.

 

Qual é a importância do MPE Brasil para a empresa?

Como pequena empresa, receber uma premiação deste gênero gera grande valorização. O MPE Brasil é conhecido por sua lisura, o que passa muita credibilidade e agrega valor às empresas que o recebem. Além de colocar a Biotecno na mídia, trouxe grande satisfação para todos os colaboradores. Poder mostrar para os clientes e para a sociedade esta valorização de muita dedicação e afinco em prol da saúde foi de suma importância. Poder dizer que estamos trabalhando na melhor pequena indústria do Brasil nos enche de orgulho.

 

Na sua avaliação, qual foi o grande diferencial que levou a Biotecno a vencer o MPE Brasil?

Acredito que o grande benefício que nosso produto traz para saúde tenha pesado nesta decisão. Além disso, penso que a forma como trabalhamos, a organização, os registros também contaram pontos a favor nesta escolha. Como a conhecida frase diz "o que não se mede não tem gestão".

 

De que forma pretendem contribuir com o desenvolvimento da comunidade local? 

A Biotecno realiza ações sociais em nosso município, como campanhas do agasalho, recreações em entidades, vacinação para doenças virais em cães e gatos. Porém acredito que nossa maior contribuição está em desenvolver produtos tecnológicos que possam ser adquiridos pelas Secretarias de Saúde e clínicas de vacinação, qualificando o serviço público e privado e contribuindo para a saúde de todos os brasileiros. A Biotecno está sempre de portas abertas para receber a comunidade e mostrar o nosso trabalho.

 

De que maneira pretendem multiplicar essa rede de benefícios gerada pela iniciativa? 

Teremos o maior prazer em conversar com gestores, mostrar o que temos feito para gerir melhor nossos resultados e alcançar metas. Muitas vezes o empreendedor sente que precisa compartilhar seus desafios com outros em situação semelhante, buscar soluções, pensar junto. É sempre bom quando participamos de cursos, pois podemos trocar experiências com outras empresas. 

 

De que maneira os gestores das MPE devem se preparar para concorrer ao Prêmio?

As empresas devem analisar-se de forma generalista, avaliando cada esfera do seu negócio, desde o comportamento do gestor até os setores específicos, como gestão de pessoas, financeira, processos, social e tantos outros aspectos que o Prêmio abrange. Cada setor da empresa deve ter gestão. Números são fundamentais, gráficos, estatísticas também. Só assim é possível aferir a "temperatura" do negócio e trabalhar nos pontos fracos.

 

Qual dica teria para dar às empresas para motivá-las a participar do MPE Brasil?

O MPE Brasil é uma ferramenta para a gestão da empresa. Muito mais do que preencher um questionário, faz o empreendedor entender como se faz uma boa gestão. Além de proporcionar uma autoavaliação, é a oportunidade que o empreendedor tem para esclarecer dúvidas e reavaliar a gestão sem custo nenhum. Participar do MPE só traz benefícios.

 

A empresa desenvolveu um equipamento portátil e revolucionário, que torna o processo mais fácil e seguro o transporte de vacinas. O produto já despontou no mercado nacional. Quais seriam os próximos passos desse processo evolutivo?

Após um ano de lançamento do produto no mercado podemos fazer uma avaliação. Participamos no ano passado da Jornada de Imunizações da SBim (Sociedade Brasileira de Imunizações) em São Paulo, que é um evento aberto ao público internacional, destinado a todas as esferas públicas e privadas envolvidas com a vacinação. Levamos o equipamento portátil para este evento e a aceitação foi unânime. Fizemos um Concurso Cultural, onde o prêmio era um equipamento portátil, porém o vencedor seria aquele que fizesse a melhor frase sobre o benefício deste equipamento para a saúde no Brasil. Tivemos mais de 400 frases, participaram países como Chile, Bolívia, Colômbia, Peru, Venezuela e é claro, Brasil. 

 

Isto nos mostrou o quanto nosso equipamento foi desejado por estes médicos, enfermeiros, administradores de clínicas e hospitais. A realidade enfrentada hoje com o transporte de vacinas em caixas isotérmicas e com gelo reciclável funciona, mas requer tempo e disposição. Nosso equipamento traz segurança, tranquilidade e certeza de conservação adequada. O mercado internacional já demonstrou nítido interesse. Habilitamos a Biotecno na Anvisa e iniciamos o processo de exportação, que está em fase final de conclusão. Antes de iniciarmos, de fato, vamos capacitar representantes em outros países de forma que eles possam nos auxiliar no suporte técnico a estes produtos. Temos que garantir não somente a venda, mas também o pós-venda e a satisfação dos clientes no exterior.