Ir para conteúdo principal

Nos Caminhos da Excelência | Blog

Nos Caminhos da Excelência

Escrito October 28, 2020
Nova versão do Modelo de Excelência em Gestão® traz mais praticidade para empresas e organizações públicas.
 
Para sobreviver em um mercado competitivo, de mudanças exponenciais advindas da era digital, as organizações públicas e privadas buscam, cada vez mais, melhorar sua gestão. As entidades e instituições seguem o mesmo caminho com o objetivo de aprimorar a prestação de seus serviços. Mas competitividade, nos dias de hoje, vai além de se destacar economicamente em um cenário.

​Para a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) competitividade está ligada à sustentabilidade, cooperação e geração de valor para as partes interessadas.
 
Para colaborar na disseminação de práticas que possam ajudar as empresas e instituições no desenvolvimento e evolução de sua gestão, a FNQ traz importantes alterações na 21ª revisão do Modelo de Excelência em Gestão® (MEG), uma metodologia de gestão aplicada para aumentar a produtividade e a competitividade das organizações e empresas. O intuito da revisão foi tornar o modelo mais versátil, sendo aplicável a qualquer tamanho de empresa ou segmento de negócio. A metodologia é como um guia, adaptável às demandas e à cultura de cada organização.
 
Para o chief Operations Officer da FNQ, Marcos Bardagi, a revisão tornou o modelo mais simples e prático de ser aplicado. “Se antes tínhamos fundamentos e critérios, agora existem apenas os fundamentos, que se dividem em temas. E para a avaliação dos processos, uma outra simplificação importante, que é a medição da excelência diretamente pelo ciclo PDCL, ou seja, agora medimos diretamente a capacidade das organizações em Planejar, Executar, Controlar e Aprender com suas práticas administrativas”, explica Bardagi.
 
O MEG 21 traz uma nova identidade visual, com a introdução da figura baseada no jogo Tangram, de inspiração oriental, em substituição à famosa Mandala, que perdurou por treze anos. “Acreditamos que assim comunicamos melhor a flexibilidade e a adaptabilidade do Modelo, elementos que são essenciais para a gestão atualmente”, complementa.
 
Badargi argumenta que a principal vantagem na adoção do modelo é contar com um conhecimento organizado, estruturado e que reúne o que é consagrado em gestão como um caminho lógico e natural para a melhoria contínua. “O modelo serve como um grande ‘guarda-chuva’ para tudo o que a organização faz em termos de Gestão. Usar o MEG é trilhar um caminho seguro e consagrado para a melhoria do desempenho organizacional. E ainda a organização pode contar com a FNQ para ajudar no entendimento, implantação e uso do modelo”, finaliza. 
 
A diretora-técnica do MS Competitivo, Olga Martinez, afirma que o MEG 21 é um modelo de referência em gestão organizacional, que tem como principal característica a de ser um Modelo Integrador. “O modelo considera que a organização é um sistema adaptável, gerador de produtos e informações – e se relaciona internamente em ambiente organizacional, humano, cultural, tecnológico, e externamente no ambiente competitivo e relacional, em constante interdependência com seus públicos de interesses”, aponta. O MS Competitivo é um movimento criado em Mato Grosso do Sul que tem como compromisso mobilizar lideranças para a melhoria da qualidade, produtividade e competitividade das organizações privadas, públicas e do terceiro setor.
 
Olga explica que para adotar o MEG a organização deve começar com uma autoavaliação que identifica as principais lacunas em relação ao guia de referência que o modelo traz. “A partir desse diagnóstico, é preciso definir prioridades, implementar melhorias, medir resultados, e voltar a avaliar, este ciclo: Planejamento, Execução, Controle e Avaliação, que gira constantemente e é a base conceitual da implementação e adoção do MEG, com base nos Fundamentos para a Excelência”, finaliza.
 
Segundo a diretora-técnica, o Modelo de Excelência em Gestão® (MEG) é disseminado por meio de inúmeras ações e iniciativas como a própria realização do Prêmio Qualidade da Gestão, que reconhece as melhores práticas regionais, além de capacitações abertas e corporativas, de eventos como os “Encontros com a Gestão”, realização da Jornada de Excelência, um programa de educação e melhoria da gestão empresarial em níveis de excelência para aumento da competitividade e sustentabilidade por meio de workshops participativos, com certificação, além de publicações disponíveis na FNQ.
 
                                             Modelo de Excelência em Gestão

 

Comentários

Não existem comentários

Postar um comentário